casa grande

Do Extra:

“Cirene Darck, de 54 anos, prestou queixa ontem, na 24a DP (Piedade), contra sua empregada, Nádia Pereira. Segundo Cirene, Nádia a agrediu violentamente por motivos religiosos. A patroa é adepta de cultos afros e a empregada, evangélica. Abalada e machucada, Cirene contou que foi empurrada, espancada e presa num quarto que, posteriormente, foi incendiado pela empregada.”

Deixe um Comentário

Campos requeridos possuem um *.