dia dos pais

Frederico Barbosa, em Certa Biblioteca Pessoal: Cada nova leitura ilumina cada leitura anterior. Se faz sentido, joga para trás, se faz sentir, caminho de volta a outra que já foi. Cada nova leitura abre um caminho vago ao passado. Pede o … Continuar lendo

arte do chá

Paulo Leminski: Ainda ontem convidei um amigo para ficar em silêncio comigo ele veio meio a esmo praticamente não disse nada e ficou por isso mesmo  

completamente enganada

Fabrício Corsaletti, no ótimo recém-lançado “Esquimó”: você me olha como se eu fosse um coveiro do século XIX se eu pudesse provar que sou um coveiro do século XIX você acreditaria que sou um poeta não passa pela sua cabeça … Continuar lendo

luiz inácio

“Abancado à escrivaninha em São Paulo Na minha casa da rua Lopes Chaves De supetão senti um friúme por dentro. Fiquei trêmulo, muito comovido Com o livro palerma olhando pra mim. Não vê que me lembrei que lá no Norte, … Continuar lendo

tudo dito, só edito

Já que começamos com Haroldo, passagem de Décio na Bravo deste mês: “Depois da poesia concreta, não surgiu nada mais de diferente. Hoje entramos numa era de quantidade. A era da globalização é a da quantificação. Não existe nenhum movimento … Continuar lendo

na mira

e começo aqui e meço aqui este começo e recomeço e remeço e arremesso e aqui me meço quando se vive sob a espécie da viagem o que importa não é a viagem mas o começo da por isso meço … Continuar lendo